quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Impunemente, você me toma tudo; casa, roupas, relógio, chão, alma, aquele café e ainda mais, esse bobo que bate em mim, aqui, no meu peito. Mas de verdade verdadeira, me apeguei a isso, virei dependente, e hoje, te adoro, te exclamo, pois te chamo de minha, dela, vida, eu, nós dois, só amo.

10 comentários:

  1. Obrigada, também gostei muito do seu :)

    ResponderExcluir
  2. Olá Fernando (:
    Lindo blog!!

    Um beijo, visite-me quando tiver um tempinho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo elogio.
      Visitarei sempre que puder! ;)

      Excluir
  3. como é bom quando gostamos assim de alguém, fernandoo (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Num é Joana, viver por sentir algo, sonhar por estar com esse alguém, e viver por crer que se possa sentir mais mais mais do que o amor. Isso e muito mais vai com, por e para a Nayara Aires :D

      Excluir
  4. Adorei o texto, o blogue! Obrigada por partilhares :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que fico feliz pelos textos estarem agradando ;)

      Excluir

Divida seus carmas e palavras;