sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Foi duma coisa longe da lógica, ao invés do sentir, vê-la, eu teclo, me toco, converso com a tv, e do mais, sei que o apresso vai chegando cada vez em mim, mil vezes, amiga, doida, linda, igual em confidência. Continuando nos breves risos, ela marca, voltas e vindas, vida, um afago de lá, e aquele, estou contigo daqui., sentir. Brigo, berro e agora até xingo numa nova, eterna história, contada e desajeitada no simples e sincero modo, modelo, mudo no olhar, no agora, o divino ouve um punhado de graças e desdenhos, ela se faz minha querida, um obrigado de nada é, confia-me tua imagem, teus segredos, nós, quase irmãos, eu, mais velho em conselhos, e em tudo isso, só, só agradeço.

2 comentários:

  1. Ótimo blog o teu. Amei o post.
    http://monisegabriely.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Divida seus carmas e palavras;